CAE reúne estagiários para nova capacitação

29/07/2017 15:25

Nas manhãs dos dias 25 e 26 deste mês, 14 estagiários da Coordenadoria de Acessibilidade Educacional (CAE/SAAD) participaram de uma capacitação, que é realizada pouco antes do início de cada semestre. Com objetivos como esclarecer as funções da CAE e de seus estagiários, o evento durou, no total, oito horas. As reuniões aconteceram na sala Henrique Fontes, na Biblioteca Universitária da UFSC, e integrou alunos de várias áreas, como Antropologia, Educação Física, Enfermagem, Fonoaudiologia, Jornalismo, Pedagogia e Psicologia.

Fotografia colorida em ambiente fechado. Sala Henrique Fontes, na Biblioteca Universitária da UFSC. Nos primeiros planos, os estagiários estão sentados (de costas para a fotografia). Ao fundo, a fonoaudióloga Vivian Dias ministra as aulas da capacitação. Ao seu lado, mais atrás, está a lousa.

As aulas foram ministradas pela fonoaudióloga Vivian Dias, que propôs dinâmicas de integração que instigaram o compartilhamento de experiências e conhecimento entre a equipe e os estudantes. Ela diz que “a capacitação tem o intuito de qualificar o suporte que é oferecido aos estudantes com deficiência, bem como tornar os próprios estagiários mais confiantes no momento da atuação”.
Foram abordados, de modo detalhado, vários temas relacionados às funções dos estagiários e acessibilidade. Alguns deles foram: modelo social da deficiência, aprofundamento acerca dos diferentes tipos de deficiência e diferentes barreiras encontradas pelas pessoas com deficiência (atitudinais, arquitetônicas, metodológicas, comunicacionais e educacionais, por exemplo). Para Vivian, “A atuação do estagiário, além de propiciar a minimização de barreiras, também deve fomentar e enriquecer a formação dos próprios estagiários”.

No decorrer das aulas, quem já participa da Coordenadoria há mais tempo pode compartilhar suas experiências. É o caso de Viviane Maria Mohr, que está na sexta fase do curso de pedagogia e também no sexto semestre de atuação na CAE. Para ela, “a capacitação é muito importante porque, além de trazer novos conhecimentos para quem não tem muito contato com a área, também atualiza quem, como eu, já está há dois anos e meio. [As aulas] nunca são iguais, sempre tem algo novo para aprender e isso faz toda a diferença na hora de atuarmos com os alunos”. Viviane conta que nunca havia estudado a área da acessibilidade até ingressar no estágio, mas que hoje não se imagina sem esse contato. Ela diz querer fazer a diferença na área.

 

Fotografia colorida em ambiente fechado: sala Henrique Fontes (Biblioteca Universitária). Coffee Break – ao centro há uma mesa com comidas e bebidas. Atrás e ao lado dela, lado a lado, estão os estagiários (dentre eles, Viviane) e as servidoras da CAE (dentre elas, a fonoaudióloga Vivian Dias). Ao fundo, uma lousa.