Por uma Biblioteca Acessível: CAE e AAI realizam capacitação para servidores da BU

18/05/2016 20:00

Entre os dias 10 e 12 de maio, a CAE, em parceria com o Ambiente de Acessibilidade Informacional (AAI), deu início a primeira capacitação Por uma Biblioteca Acessível, voltada aos funcionários das bibliotecas da UFSC, na sala Harry Laus, primeiro andar da Biblioteca Central. As aulas presenciais do curso foram elaboradas e ministradas por profissionais dos dois setores — a fonoaudióloga Vivian F. Dias, a bibliotecária Karyn M. Lehmkuhl e a auxiliar de biblioteca Clarissa A. Pereira — e contou com participação de 26 servidores, quatro estudantes e convidados de outras áreas. Na sexta-feira, 13, foi disponibilizado o primeiro dos dois módulos de exercícios online, conteúdo adicional para a totalização das 20 horas necessárias para que as atividades institucionais sejam formalmente validadas.

A auxiliar de biblioteca Clarissa Agostini Pereira, do AAI, foi quem teve a ideia de realizar uma capacitação que levasse os conceitos e abordagens atuais de acessibilidade para os demais servidores da BU. Pós-Graduada em Administração, Gestão Pública e Políticas Sociais e com dois cursos de audiodescrição no currículo, Clarissa Pereira trabalha com a adaptação de materiais (textos, livros, filmes, etc…) para pessoas com deficiência, na UFSC, desde 2011. Com o crescimento do número de estudantes com deficiência na instituição, a falta de preparo dos servidores nos campi vem à tona, principalmente na Biblioteca, espaço fundamental na formação dos universitários. Não raro, estudantes com deficiência são automaticamente encaminhados, por servidores da BU, ao AAI, o que caracteriza uma centralização indesejada da acessibilidade no setor, indo contra o primeiro princípio de inclusão das pessoas com deficiência na UFSC.

Na parte presencial, as responsáveis pela capacitação usaram o pouco tempo que dispunham (quatro horas por dia) para expor um breve panorama sobre a acessibilidade.  Os servidores participantes foram apresentados ao Modelo Social da Deficiência, que ao contrário do Modelo Médico, considera o papel da sociedade na marginalização das pessoas com deficiência; conheceram as diferenças entre lesão e deficiência, doença e deficiência e entre condições permanentes e temporárias e depois tiveram aulas de etiqueta que, a partir de exemplos cotidianos, ensinam como interagir com as pessoas com deficiência. As dicas foram boas para o assistente em administração da biblioteca do Centro de Ciências Agrárias (CCA) Anderson Florentino da Silva. Anderson da Silva contou que só tem contato com os estudantes com deficiência quando os servidores técnico-administrativos da UFSC entram em greve — ocasiões em que estudantes dos demais centros de ensino tendem a utilizar o restaurante do CCA (gerido por uma empresa terceirizada, o restaurante do CCA continua funcionando mesmo durante as greves).

No dia seguinte a última aula presencial, foi disponibilizado via moodle o primeiro módulo de atividades à distância. Intitulado Revisitando a Acessibilidade, conta com artigos que tratam das barreiras arquitetônicas encontradas em hospitais, da acessibilidade em espaços virtuais ou físicos nas universidades, a presença de pessoas com deficiência na sociedade e aprofundamentos nas abordagens sobre as deficiências mencionadas durante as aulas presenciais. Os servidores participantes terão até o dia 20 de maio para realizarem as leituras e uma avaliação de dez questões, em que devem alcançar médias sete.

O segundo módulo, Aplicando a Acessibilidade ao Contexto da Biblioteca, aplicará o conteúdo teórico estudado ao cotidiano dos funcionários das bibliotecas da UFSC. Com início previsto para o dia 20, leituras e a avaliação também ficarão disponíveis no moodle por uma semana.

Fotografia Colorida 01

Fotografia colorida em ambiente fechado: Sala Harry Laus, primeiro andar da Biblioteca Universitária. À esquerda, Vivian Dias (Fonoaudióloga e coordenadora da CAE); à direita, a turma servidores que participaram da capacitação, sentados. Vivian Dias gesticula enquanto conversa com o os servidores, que estão sérios, prestando atenção. (Foto: Camila Marques/CAE)

Fotografia Colorida 15

Fotografia colorida em ambiente fechado: Rampas de acesso ao primeiro andar da BU. No primeiro plano, uma mulher vendada é guiada por um mulher não vendada enquanto sobem a primeira rampa. Atrás destas, outra dupla de mulheres na mesma situação. A cena da foto mostra uma vivência proposta pelas organizadoras da capacitação. (Foto: Camila Marques/CAE)